top of page
Buscar
  • Foto do escritorSINTUFF

Assembleia rejeita proposta do governo e aprova continuidade da greve


A categoria técnico-administrativa da UFF, reunida na Assembleia de Greve (25) convocada pelo SINTUFF, deliberou por unanimidade pela continuidade da greve por tempo indeterminado. A decisão referenda a orientação do Comando Nacional de Greve (CNG) da FASUBRA, que indicou rejeição à proposta apresentada pelo governo federal na reunião da Mesa Específica e Temporária (19).


Houve um vasto consenso nas avaliações acerca da insuficiência da proposta do governo, apresentada pelo Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), em atender as demandas da categoria em greve. A despeito das diferentes avaliações acerca do governo e da conjuntura, as falas foram amplamente unitárias em indicar a importância de intensificar a mobilização para ampliar o espaço da recomposição salarial e da reestruturação da carreira no orçamento federal. A categoria técnico-administrativa em educação recebe a pior remuneração do serviço público federal.


Houve votação para representação do SINTUFF no Comando Nacional de Greve, que é composta por cinco nomes. A Chapa Combate obteve 37 votos e elegeu Cirlene Coelho de Mattos Chagas, Vera Regina Ramos de Oliveira e Jeferson Alves Vieira. A Chapa Democracia Sempre angariou 28 votos e elegeu Leila Regina Nunes Correa e Fátima Maria Ferreira da Costa. Houve mais uma chapa inscrita, mas a mesma não obteve votos suficientes para eleger representantes.

 

Assembleia de Greve aprovou as seguintes resoluções :

·         Manutenção da greve e rechaço à proposta do governo apresentada na 4º reunião da Mesa Específica e Temporária. Aprovada por unanimidade.

·         Realizar reuniões semanalmente em cada campus de combate ao assédio moral. Aprovada por unanimidade.

·         Propor uma nova caravana nacional junto à FASUBRA. Aprovada por unanimidade.

·         Defender a construção de um comando político nacional da greve da educação com ANDES-SN, FASUBRA e SINASEFE. Aprovada por unanimidade.

·         Construir com a CSP-Conlutas e os movimentos sociais o ato de 1º de maio (Dia da Classe Trabalhadora) na Praça Mauá. Aprovada por ampla maioria.

·         Participação na campanha #LulaRecebaOsTAE e incluir simultaneamente a consigna #ZeroEuNãoTolero. Aprovado por maioria incluir a consigna #ZeroEuNãoTolero junto à campanha nacional, de forma concomitante.

 

Ao fim da Assembleia, foi consensuado encaminhar ao Comando Local de Greve (CLG) a construção de calendários de panfletagens nos diversos campi, conforme a necessidade e disponibilidade de companheiras e companheiros para realização destas atividades.

Comments


bottom of page