• SINTUFF

Assembleia indica greve caso servidores sejam obrigados a retorno presencial


A Assembleia Virtual do SINTUFF lotou a sala online do Google Meet, reunindo mais de 100 companheiros que participaram da reunião. Diante da iminência de implantação do ensino remoto em toda universidade, as falas apontavam riscos de sobrecarga de trabalho e de convocação dos técnico-administrativos para trabalho presencial, de forma a suprir demandas criadas pelas aulas em ambiente online. Há relatos de pressão de chefias em diversos setores pela volta da atividade presencial, mesmo não havendo qualquer resolução oficial da universidade nesse sentido.

Diante desse cenário, a Assembleia deliberou por unanimidade indicar greve em caso de retorno presencial em meio à pandemia, repudiando qualquer volta à normalidade por fora dos padrões sanitários estabelecidos pela OMS. Os técnico—administrativos entenderam que, em caso de convocação para retorno presencial, será necessária uma greve sanitária pela ausência de condições de preservação de saúde e risco alto de contaminação. Os óbitos, adoecimentos e surtos da epidemia no Hospital Universitário Antonio Pedro são a expressão mais gritante de que a pandemia não está controlada e que o retorno presencial amplia riscos para toda a categoria, incluindo os que estão na linha de frente por serem serviço essencial. Na ausência de vacina e remédio eficaz, sem redução significativa da curva de contaminação, qualquer política de retorno nesse momento é uma irresponsabilidade.

A Assembleia aprovou por maioria uma ajuda de um salário mínimo por seis meses para as famílias das servidoras sindicalizadas que vieram a óbito por Covid-19 por estarem na linha de frente no HUAP. O Departamento Jurídico do SINTUFF ofereceu ainda assistência aos familiares das vítimas no sentido de protestar judicialmente pelas mortes.

SINTUFF aprova apoio à proposta da ADUFF para o semestre letivo

Em contraponto à política da reitoria de impor a toque de caixa um calendário com ensino remoto regular para toda a universidade, a Assembleia aprovou por maioria apoio à proposta da ADUFF para o semestre letivo. O documento do sindicato docente defende oferta de disciplinas optativas dedicadas à Extensão, em oposição à transposição de disciplinas obrigatórias para o ensino remoto e manifesta contrariedade ao retorno híbrido ou presencial durante a pandemia da Covid-19.

Confira as resoluções aprovadas na Assembleia

  • Indicar greve em caso de retorno presencial em meio à pandemia, repudiando qualquer volta à normalidade por fora dos padrões sanitários estabelecidos pela OMS.

  • Apoio à proposta da ADUFF para o semestre letivo. Documento defende oferta de disciplinas optativas dedicadas à Extensão, em oposição à transposição de disciplinas obrigatórias para o ensino remoto e manifesta contrariedade ao retorno híbrido ou presencial durante a pandemia da Covid-19

  • Construir atividades/lives com a ADUFF e os setores do movimento estudantil da UFF que estão contra a política de ensino remoto da reitoria, englobando o funcionamento da universidade na pandemia como um todo.

  • Fazer uma live sobre assédio moral.

  • Repúdio e resistência a qualquer política de retorno dos grupos de risco para serviço presencial no HUAP.

  • Campanha de denúncia de chefias que façam exigências de trabalhos presenciais para atendimento de demandas do ensino remoto emergencial.

  • Não acatar retorno presencial por fora dos meios oficiais e sem mesa de negociação com o SINTUFF e o setor de trabalho para debater essencialidade e urgência do serviço.

  • Não aceitar nenhuma sobrecarga de trabalho e nenhum aumento de gastos decorrentes da aplicação do ensino remoto e campanha pela aprovação de resolução no CUV para garantir nenhuma punição aos que não tenham condições de exercer o trabalho remoto parcialmente ou na totalidade.

  • Não atender os chamados das chefias sobre retorno às atividades presenciais

  • Ajuda social de um salário mínimo por seis meses para cada família de servidora técnico-administrativa sindicalizada que veio a óbito por Covid-19 por estar na ativa no HUAP.

  • Participar dos atos do dia 25 de julho, parte do calendário das centrais, da FASUBRA e também data de luta dos entregadores de aplicativo.

  • Campanha pela aprovação do projeto que concede indenização de R$ 50 mil a profissionais da área da saúde que vieram a óbito após contraírem o coronavírus, por atuarem na linha de frente de combate à pandemia.

  • Colocar nas ruas um carro de som denunciando os problemas do HUAP

  • Promover cards para uma campanha contra a volta dos trabalhadores neste momento da epidemia

  • Testagem de Covid-19 em todos os trabalhadores do HUAP.

  • Retorno do transporte da UFF para os trabalhadores que não moram no município de Niterói.

  • Testagem em massa no Rio de Janeiro, no país, para que ocorra um controle nas áreas onde está havendo mais contaminação pelo coronavírus.

  • Matéria/anúncios pagos em meios de comunicação mais eficazes, conforme custo/benefício, denunciando a situação do HUAP na pandemia.

  • Dia 25/7 - Dia Internacional da Mulher Latina e Caribenha, publicação de matéria no site do SINTUFF

  • Dia 30/7 - Dia Internacional de Luta contra o Tráfico de Pessoas, publicação de matéria no site do SINTUFF

  • Proposta que a direção do SINTUFF envie novos ofícios para reunião com a gestão da EBSERH, para dialogarmos sobre a situação do HUAP que cada vez fica mais crítica.

  • Criação de um grupo de trabalho do SINTUFF para discutir condições mínimas para realização de trabalho remoto.

  • Indicativo de um dia de paralisação do trabalho remoto na universidade.

  • Suspensão do trabalho presencial pelo mesmo período de suspensão do ensino presencial

  • Criar um formulário para os servidores perseguidos entrarem em contato com o sindicato para denunciar anonimamente no site do SINTUFF

  • Criar um grupo de trabalho para debater o trabalho remoto (proposta Lucia)

  • Criar um documento que exponha os motivos do não ter o retorno presencial como respeitar as normas da OMS.

  • Fazer uma ação judicial para a PROGEPE receber e abrir uma mesa de negociação on-line com o SINTUFF sobre segurança no trabalho, laudos e equipamentos de proteção, sujeito a análise do Departamento Jurídico sobre os riscos.

  • Ação Judicial por ressarcimento dos custos do trabalho remoto para casos em que houver comprovação dos gastos.

Endereço:
Rua Coronel Tamarino, nº 37 - Gragoatá

Niterói - RJ

CEP: 24210-380

secretaria@sintuff.org.br

Telefones: (21) 2717-9292 / 3604-1800

© 2013

by Marcello Bertolo

  • Blogger Square
  • b-facebook
  • Google Round
  • Twitter Round
  • b-youtube