top of page
Buscar
  • Foto do escritorSINTUFF

Derrotar a extrema-direita nas ruas com punição aos golpistas e prisão de Bolsonaro

Atualizado: 1 de fev.


No dia 8 de janeiro completou-se um ano da tentativa de golpe de estado orquestrada pela extrema-direita bolsonarista. Em repúdio ao golpismo, houve atos em todo o país nesta data. O SINTUFF esteve presente na mobilização realizada no Rio de Janeiro contra qualquer tipo de anistia aos golpistas. A mobilização aconteceu na Cinelândia, com boa presença, enchendo a praça Floriano Peixoto.

 

Tentativa de golpe em janeiro de 2023


Janeiro de 2023 testemunhou uma tentativa de golpe, quando, no dia 8, uma multidão descontrolada invadiu os palácios dos três poderes, causando danos irreparáveis ao patrimônio e ameaçando as liberdades democráticas no país. Exigiam uma "intervenção militar". Mesmo um ano após o fracasso desse episódio, os desdobramentos ainda não foram completamente resolvidos. Bolsonaro, apesar de inelegível, permanece em liberdade. A delação de Mauro Cid permanece em segredo, e os responsáveis pelo financiamento dos atos não foram responsabilizados. Aqueles que orquestraram e financiaram as ações golpistas, incluindo empresários, políticos e militares, continuam impunes.


Unificar as lutas


A única maneira eficaz de derrotar a extrema direita é mobilizando as massas trabalhadoras e ocupando as ruas. É crucial incorporar à agenda antigolpista a demanda para que o governo Lula revogue as contrarreformas realizadas por Temer e Bolsonaro nas áreas previdenciária, trabalhista e de privatizações, incluindo a Eletrobras. Além disso, é imperativo lutar pela revogação do arcabouço fiscal, atender às reivindicações dos servidores públicos federais, encerrar as privatizações em São Paulo e readmitir os metroviários demitidos por motivações políticas.


Espionagem ilegal na ABIN durante o governo Bolsonaro


Durante o governo Bolsonaro, o escândalo de espionagem ilegal na Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) veio à tona, destacando ainda mais as ações golpistas. O esquema visava proteger a família Bolsonaro, monitorar adversários políticos e disseminar notícias falsas. Sob a liderança de Alexandre Ramagem (PL-RJ), aliado de Bolsonaro e então chefe da ABIN, o órgão de inteligência do Estado foi utilizado ilegalmente. Existem numerosas evidências incriminatórias contra Bolsonaro, seus familiares e correligionários.


Nenhuma perdão aos golpistas


O SINTUFF defende nenhuma anistia para os golpistas, punição aos políticos e militares envolvidos e confisco de bens das empresas e empresários que financiaram a tentativa de golpe.

Bình luận


bottom of page