top of page
Buscar
  • SINTUFF

IX Congresso do SINTUFF aprova plano de lutas por salário e direitos


Foto: Zulmair Rocha

O IX Congresso do SINTUFF (IX CONSINTUFF), realizado nos dias 30 de novembro e 1 de dezembro, aprovou um plano de lutas nacional e local, tendo como eixos principais a campanha salarial, o arquivamento da Reforma Administrativa (PEC 32), a independência política frente ao governo e à reitoria, as lutas em defesa da jornada de 30 horas, pela revogação da EBSERH e para preservar o reposicionamento dos aposentados.O IX CONSINTUFF teve 150 sindicalizados inscritos nas reuniões pré-congressuais e 97 delegados que retiraram seus crachás durante os dois dias de Congresso, além de 22 observadores. Durante o primeiro dia (30/11), houve a Mesa de Abertura, a Mesa de Conjuntura e Universidade, a votação do Regimento do IX CONSINTUFF, as apresentações das teses, falas do plenário e Grupos de Discussão sobre os diversos temas em pauta.


►► Abertura

A Comissão Organizadora formou a mesa de abertura do IX CONSINTUFF que contou com diversas saudações e homenagens. Houve saudação aos membros da coordenação do sindicato que não puderam participar do Congresso por problemas de saúde: Leila Gomes, Luiz Carlos Vieira e Pedro Rosa Cabral. A companheira Eliane Slama, ex-coordenadora geral do SINTUFF, fez fala em memória de companheiras e companheiros que participaram da construção do SINTUFF (antiga ASUFF) e faleceram recentemente e durante a pandemia. Foram citados Roberto Alvarenga, Rute Ferreira Santos, Darci Pereira Paiva, Inês Procópio, Avenir Pimentel, Arenilda da Silva, dentre tantos outros servidoras e servidores que contribuíram ao sindicato e à universidade, tendo sido registrado um minuto de silêncio.

Maycon Douglas, representando o DCE-UFF, ressaltou a parceria do movimento estudantil com o SINTUFF em defesa da universidade pública e se solidarizou à luta salarial da categoria. Em nome do SEPE-RJ, Dayse Oliveira enfatizou a importância da mobilização da classe trabalhadora e o enfrentamento ao bolsonarismo. Pela FASUBRA, Carlos Abreu Mendes reforçou a batalha contra a Reforma Administrativa. Representando a CTB, Marcia dos Santos Carvalho afirmou que Bolsonaro era um inimigo em comum e ressaltou a importância da unidade para derrotá-lo. O gari Bruno da Rosa, pela CSP-CONLUTAS, destacou a importância de lutar pela revogação das reformas da previdência, trabalhista e a unidade na luta contra a extrema-direita.


►► Mesa de Conjuntura e Universidade

A Mesa de Conjuntura e Universidade foi formada por Lucyene Almeida de Faria Brito (Coordenação Jurídica e de Relações de Trabalho do SINTUFF), Izabel Cristina Firmino (Coordenação de Políticas Sociais de Mulheres, Gênero, Raça e Etnia do SINTUFF) e Francisco de Assis dos Santos, o Chiquinho (ex-coordenador da FASUBRA Sindical). Abrindo a mesa, Lucyene mencionou que o SINTUFF esteve presente nos mais importantes processos de luta contra o atual governo e defendeu que o sindicato e o movimento sindical devem ser independentes frente ao novo governo. Izabel destacou a importância do SINTUFF ser independente de governos e patrões para lutar pelo resgate de direitos e avançar nas conquistas, ressaltando a luta contra qualquer golpe de estado, pela garantia da posse de Lula, mas sem que isso signifique uma participação no futuro governo. Chiquinho afirmou que todas as teses inscritas defendiam a autonomia do movimento sindical e das entidades de classe, que a composição das mesmas é com a classe trabalhadora e não com o governo, contudo advertindo que para a garantir a unidade em torno aos interesses dos trabalhadores é necessário garantir que o governo Lula seja empossado e governe. Após as falas da mesa, o plenário se expressou em dezesseis falas.


►► Defesa das teses

Após a aprovação do Regimento do Congresso, foi procedida a apresentação das três teses inscritas no IX CONSINTUFF. A tese Unidos pra Lutar, defendida por Izabel Cristina Firmino. A tese Em Defesa da Democracia foi apresentada por Eduardo Henrique de Castro Araujo, Marcelo Barbosa Santos e Márcia dos Santos Carvalho. A tese Combate Sindical teve sua exposição feita por Bernarda Thailania Ferreira Gomes. Após as defesa, ainda houve um total de 10 falas para o plenário. As três teses inscritas têm seus textos na íntegra, um resumo e os vídeos de suas apresentações no plenário publicados em www.sintuff.org.br.

Encerradas as apresentações de tese e falas decorrentes, a Comissão Organizadora do IX CONSINTUFF instalou os Grupos de Discussão, nos quais delegados e teses entregaram suas proposições para serem debatidas e votadas no Plenário.


►► Mudanças estatutárias

As plenárias finais ocorreram no segundo dia do Congresso (1/12), que aprovou as mudanças estatutárias pela manhã e as resoluções políticas pela tarde. O Estatuto do SINTUFF sofreu poucas alterações. A Coordenação Geral do SINTUFF passou a ter ser composta por três integrantes em vez de apenas dois. A Coordenação de Esporte e Lazer foi extinta e suas funções incorporadas pela agora Coordenação de Educação, Formação, Cultura, Esporte e Lazer. Houve uma correção de momenclaturas, na qual a Coordenação do SINTUFF é dividida em Coordenação Executiva (9 membros) e Coordenação Plena (19 membros). Ficou determinado que a Coordenação Executiva de 9 membros tem a finalidade de “deliberar sobre as atividades cotidianas do SINTUFF”.

Por fim, ficou determinado que a eleição do SINTUFF da Coordenação e do Conselho Fiscal permanece de forma proporcional, contudo extinguindo-se a palavra “direta” do artigo que versava sobre esse tema. A próxima coordenação não terá sua divisão de cargos pela proporcionalidade direta como a atual coordenação, sendo utilizado para este fim o cálculo descrito no art. 28º, antes utilizado apenas para definir a ordem das chamadas. Em breve a reforma do Estatuto, após registro em cartório, será publicada no site do SINTUFF.

bottom of page