top of page
Buscar
  • Foto do escritorSINTUFF

8 de março, as mulheres foram às ruas lutar por direitos


Concentração em Niterói para o 8M. Foto: Jesiel Araujo


No dia 8 de março ocorreram atos em todo o país em virtude do Dia Internacional da Mulher. O SINTUFF é parte ativa do 8M Niterói e do 8M Rio, movimentos que tem encaminhado a luta pelos direitos das mulheres e as manifestações feministas. O sindicato participou de manifestação no Rio de Janeiro (8/3).

Primeiro houve uma concentração em Niterói, nas Barcas. De lá, as companheiras foram até a concentração para o ato unificado, na Candelária. Houve passeata da Candelária até a Cinelândia, onde ocorreu o encerramento do ato. O 8M Niterói publicou um boletim convocatório para o Dia Internacional da Mulher. Confira o teor do chamado:


8 de março, as mulheres de Niterói nas ruas!

Nossa realidade é muito dura e temos muito pelo que lutar: o Brasil é o quinto país em número de feminicídios (quando mulheres são assassinadas apenas por serem mulheres) e primeiro em assassinatos de pessoas trans, onde a maioria destas identidades possuem o gênero feminino. Seguimos ganhando menos que os homens cisgêneros (não trans). Somos as principais atingidas pelo racismo ambiental, expresso recentemente nos deslizamentos e alagamentos com as chuvas intensas. Enfrentamos dificuldades reais com os acessos das famílias, principalmente das mães solo e faveladas às unidades escolares, e a permanência de seus filhos estudantes da rede pública, desdobrando-se em barreiras reais quanto à mobilidade urbana. As mulheres, mães e estudantes, e seus filhes, principalmente as mulheres negras e faveladas, também sofrem com o impacto da exclusão digital.


Nenhum direito a menos!

Aqui em Niterói, amargamos a menor rede pública municipal de educação do estado do Rio. Faltam professores, especialmente professores de apoio educacional especializado, para a inclusão dos estudantes com deficiência, o que sobrecarrega mães e priva as crianças do direito à educação, numa lógica capacitista. Faltam creches, e a saúde pública segue sendo precarizada para fins de ser privatizada. Vemos que, em Niterói, crescem as OSs, experiência fracassada no Rio, que só favorece quem lucra com essas iniciativas. Defendemos a maternidade Alzira Reis e exigimos investimentos no SUS da cidade, melhores salários para os profissionais de saúde, e capacitação dos serviços de saúde da cidade.


Sem anistia

Derrotamos a extrema direita nas urnas no ano passado, mas ainda há muito pela frente: Bolsonaro sempre foi inimigo das mulheres, e todo o seu governo foi dedicado a atacar nossos direitos e apoiar estupradores. Seu governo é responsável pela morte de 700 mil pessoas, desemprego e subempregos, que afetam principalmente as mulheres. No dia 08/01, os bolsonaristas tentaram dar um golpe no país. Para que a extrema direita seja derrotada de vez, precisamos ocupar as ruas, lutar até que Bolsonaro e sua família sejam presos e todos os golpistas envolvidos sejam punidos. Queremos o confisco dos bens de todos os golpistas. Que os ministros José Múcio e Daniele do Waguinho, que são parte da corja bolsonarista, sejam exonerados. No Brasil, a cada 2 dias uma mulher morre em decorrência de uma tentativa de aborto clandestino. Mulheres de todas as idades e religiões abortam, mas, enquanto as ricas pagam por clínicas clandestinas, as pobres e pretas são as que mais morrem tentando. Acreditamos que o aborto é uma questão de saúde pública, e não de polícia. Por isso, exigimos a legalização do aborto, e que seja oferecido pelo SUS. Combinado com uma forte educação sexual nas escolas e fortalecimento do SUS, para planejamento familiar e distribuição de métodos contraceptivos.


Lutamos por:

1.SEM ANISTIA! Prisão para Bolsonaro e todos os golpistas! Confisco dos bens dos empresários que apoiaram a tentativa de golpe do dia 8 de janeiro!

2. NENHUM DIREITO A MENOS! Revogação das contrarreformas da previdência e trabalhista! Salário igual para trabalho igual! Geração de empregos com direitos!

3. Concurso imediato para mais professores, principalmente professores de apoio educacional especializado.

4. Abertura imediata de mais creches públicas! Pelo fim do programa Escola Parceira, que leva dinheiro público para a educação privada!

5. Aborto legal, seguro, gratuito e oferecido pelo SUS: nenhuma mulher a mais morta por fazer aborto clandestino. Queremos educação sexual e de gênero nas escolas, para prevenir abusos sexuais e gravidezes indesejadas! Contraceptivos para não abortar e aborto legal para não morrer!

6. Enfrentamento ao racismo e ao racismo ambiental em Niterói, apontada como a cidade mais racista e segregadora do país!

7. Por moradia digna, saneamento básico e transporte público de qualidade, principalmente nas periferias da cidade. Retomada das linhas e horários de ônibus extintos! 8. Em defesa da Maternidade Alzira Reis e de um SUS 100% público, gratuito, de qualidade em Niterói! Pelo enfrentamento à violência obstétrica em Niterói!”


Comments


bottom of page