top of page
Buscar
  • Foto do escritorSINTUFF

XXIV CONFASUBRA rechaça arcabouço fiscal e EBSERH

O XXIV CONFASUBRA reuniu um total de 1022 delegados de 49 entidades da base das instituições federais públicas de ensino, entre os dias 17 e 21 de maio, em Brasília (DF). O SINTUFF participou do Congresso com uma delegação que reuniu 26 delegados, 3 observadores, além de suplentes, ouvintes e profissionais de imprensa. Durante o Congresso, o SINTUFF transmitiu, via Facebook, diversas mesas e a Plenária Final. Os vídeos estão disponíveis em fb.com/sintuff.


Abertura

A solenidade de abertura teve a presença de dirigentes da Federação, centrais sindicais, parlamentares e lideranças partidárias e de movimentos sociais. Saudaram o XXIV CONFASUBRA: Antonio Alves Neto, José Maria Castro, Vânia Helena Gonçalves, João Paulo Ribeiro, Rosângela Soares da Costa e Valdenise Ribeiro pela FASUBRA; deputadas e deputados federais Ana Pimentel (PT/MG), Deputada Federal Alice Portugal (PCdoB/BA), Federal Fernanda Melchionna (PSOL/RS) e Reginaldo Lopes (PT/MG); Leonardo Péricles (UP), Walter Merkis (CONTUA e FATUN); Elenira Vilela (SINASEFE); Paulo Cesar Marques da Silva (UnB); Neuza Tito (Ministério das Mulheres); Pedro Armengol (CUT); Flauzino Antunes Neto (CTB); Bernadete Menezes (Intersindical); Diego Vitello (CSP-CONLUTAS); Manoel José Porto Júnior (CEA); Marcelo Di Stefano (CSA); Rivânia Moura (ANDES-SN); Viviane Peres (FENASP E FONASEFE); e Maria Lúcia Fattorelli (Auditoria Cidadã da Dívida).


Mesas

A Mesa de Conjuntura contou com a presença de João Paulo Ribeiro (CTB), Diego Vitello (CSP-Conlutas), José Maria Castro (CUT), Valério Arcary (Resistência/PSOL) e Gecira Di Fiori (Ressignificar), sendo mediada por Marcelino Rodrigues e Rosângela Gomes Soares da Costa, ambos da FASUBRA Sindical. Temas como arcabouço fiscal, punição aos golpistas do 8 de janeiro e a relação da FASUBRA com o governo foram amplamente debatidos, pelos mais diversos pontos de vista. Após a mesa de conjuntura, houve a apresentação das teses. No decorrer do congresso, ocorreram ainda mesas sobre instituições públicas de ensino e hospitais universitários e acerca do plano de carreira.

Formada por integrantes das mais diversas universidades e teses presentes ao Congresso, a Frente dos HUs teve grande destaque ao longo do CONFASUBRA, ao pautar de forma permanente e contundente a importância da luta contra a EBSERH.



Plenária Final

Na Plenária Final, Entre as principais votações, foi aprovada resolução pela rejeição ao arcabouço fiscal (PLP 93/2023), que limita os gastos públicos em áreas sociais; o impedimento que dirigentes da FASUBRA estejam em cargos de assessoramento de governos e reitorias; a luta pela revogação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH); e a continuidade da luta pela Campanha Salarial 2024, junto à Mesa Nacional de Negociação Permanente perante o governo federal. Também foi aprovada política de pressão pela abertura de Mesa Específica dos TAEs com o governo.


Eleição da nova direção da FASUBRA

Cinco chapas se formaram para concorrer à Direção Executiva da FASUBRA. Havia delegadas e delegados eleitos pela base do SINTUFF em todas as chapas. A Chapa 50 (Unir/Ressignificar) obteve 359 votos (10 coordenadores), a Chapa 20 (Travessia/TAEs na Luta) conseguiu 257 votos (7 coordenadores), a Chapa 30 (Ousadia e Luta/Vamos à Luta/PS Livre, Combate e Frente Base) angariou 220 votos (6 coordenadores), a Chapa 40 (CTB) teve 97 votos (2 coordenadores) e a Chapa 10 (MLC/Unidade Classista) atingiu 67 votos (2 coordenadores). Lucyene Almeida de Faria Brito (Chapa 30) e Maria Thereza Rodrigues da Silveira (Chapa 50), ambas da Coordenação do SINTUFF, compõem a nova direção da FASUBRA como suplentes.


Fotos: Jesiel Araujo

Comments


bottom of page