Buscar
  • SINTUFF

Servidores protestam por reajuste e redução da carga horária

Atualizado: 29 de mar.


Foto: Jesiel Araujo

Cerca de 50 servidores técnico-administrativos ativos e aposentados, organizados pelo SINTUFF, realizaram um ato nos jardins da Reitoria (16/3). As pautas principais da mobilização foram a redução da carga horária, o reajuste salarial e a defesa do reposicionamento dos aposentados. A atividade sindical contou com a presença e o apoio da Associação dos Docentes da UFF (ADUFF) e era parte das mobilizações do dia nacional de luta dos servidores públicos.

O movimento ocorreu de forma concomitante à sessão do Conselho Universitário (CUV) do mês de março, realizado de forma virtual. Durante o CUV, vários conselheiros titulares e suplentes do segmento técnico-administrativo conseguiram inscrição para as falas. A mesa, presidida pelo reitor Antonio Claudio da Nóbrega, desejava cortar parte das falas dos técnico-administrativos, alegando que suplentes só poderiam se pronunciar na ausência de seus titulares, algo não previsto no Regimento e nunca praticado anteriormente. O reitor ameaçou colocar o tema em votação, gerando protesto dos servidores que estavam nos Jardins da Reitoria e entraram ao vivo no CUV online, tendo em vista que vários conselheiros estavam no ato. Após pressão, o reitor decidiu permitir as falas e jogar a discussão sobre esse tema para o próximo CUV.

Falas de representantes do segmento técnico-administrativos reclamavam da diferença de tratamento entre docentes e técnico-administrativos para definição de critérios da carga horária de trabalho presencial. Representantes da bancada dos servidores técnicos reivindicaram que a proposta de resolução apoiada pelo SINTUFF sobre a carga horária fosse incluída na pauta. O reitor respondeu que encaminharia a proposta para apreciação das câmaras, as mesmas que ignoraram essa proposição, mesmo ela tendo sido enviada no prazo. Enquanto uma pauta que envolve cerca de quatro mil técnico-administrativos foi ignorada, inúmeras pautas simbólicas e secundárias foram priorizadas pelas câmaras e consequentemente pelo CUV, numa inversão absurda de hierarquia da importância dos temas. Por fim, o reitor se comprometeu a receber o SINTUFF em audiência na próxima semana para debater o tema da carga horária de trabalho presencial, hoje sujeito ao critério subjetivo da vontade de direções e chefias.