Buscar
  • SINTUFF

Assembleia aprova fiscalizar condições do retorno presencial



A Assembleia Geral do SINTUFF (4/11), reunida de forma virtual, deliberou um conjunto de resoluções sobre a luta contra a Reforma Administrativa, a política de retorno presencial na universidade e o tema da insalubridade, entre outras pautas. A Plenária da FASUBRA, que era pauta da Assembleia, foi adiada por tempo indeterminado, causando a supressão desse ponto. Para a reunião ampliada da Coordenação Nacional da CSP-CONLUTAS foi formada uma única chapa, eleita sem votos contrários e com uma abstenção.

No ponto de conjuntura a Assembleia aprovou "intensificar as campanhas e lutas unificadas contra Bolsonaro, dando destaque à luta contra a PEC 32 (Reforma Administrativa)" e "exigir das centrais sindicais que assumam a bandeira contra a PEC 32 e, de fato, construam os atos do dia 20 de novembro".

Sobre o retorno presencial, processo que se acelera com a redução de casos, internações e óbitos por COVID-19 e o avanço da vacinação, a Assembleia aprovou "que o sindicato realize uma ampla campanha de fiscalização das condições sanitárias e de trabalho a partir do retorno presencial de servidores e a denúncia dos problemas decorrentes desse retorno". Foi aprovada ainda a formação de um Grupo de Trabalho do SINTUFF no intuito de elaborar propostas para um retorno presencial seguro com condições sanitárias e de trabalho. Durante a Assembleia foi informado que o Conselho Universitário (CUV), por proposição da bancada de técnico-administrativos, formou uma Comissão Especial com semelhante objetivo, na qual terá assento representação do segmento técnico-administrativo.

Concluindo essa pauta, foi aprovada resolução com objetivo de "incentivar as pessoas que estão de volta ao trabalho presencial a fazerem contato com o SINTUFF para informar as condições de trabalho e sanitárias de seus setores e unidades" e "propor um convênio da UFF para distribuição de máscaras de forma a padronizar os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) dos servidores em serviço presencial, conforme os parâmetros indicados por Fiocruz e Organização Mundial de Saúde (OMS)".

O último ponto de pauta foi o tema do adicional de insalubridade. Após informe da assessoria jurídica do sindicato, foi aprovada a formação de um Grupo de Trabalho do SINTUFF com essa pauta, "cobrar da reitoria a criação da Comissão Interna de Saúde do Servidor Público (CISSP)" e fazer "um levantamento dos pedidos de adicional de insalubridade que a Coordenação de Atenção Integral à Saúde e Qualidade de Vida (CASQ) recusou administrativamente e foram ganhos na justiça".

Foram aprovadas ainda resoluções pela construção de um ato em rechaço à homenagem na Câmara de Vereadores de Niterói ao bolsonarista Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares e inimigo declarado do movimentos antirracistas; e para ampliar a solidariedade aos garis da demitidos pelo prefeito Eduardo Paes em retaliação à mobilização dessa categoria na cidade do Rio de Janeiro.