Entidades, intelectuais, parlamentares e movimentos se solidarizam à greve

Dezenas de entidades sindicais, parlamentares, ativistas, intelectuais, correntes políticas, movimentos sociais e de juventude assinaram nota em solidariedade à greve dos servidores da UFF, contra a postura do reitor de atacar judicialmente o movimento grevista. Solidariedade à greve dos servidores da UFF Não a judicialização da greve! Em defesa de uma mesa de negociação! Os trabalhadores da UFF estão em greve desde o dia 10 de outubro enfrentando a tentativa de ampliação de sua carga horária, o retrocesso da jornada de 30h já praticada há três décadas, e a imposição arbitrária do ponto eletrônico. Além disso, lutam em defesa do hospital universitário que está sendo desmontado pela política

Reitor consegue liminar, mas greve não é declarada abusiva

- Decisão não impõe corte de ponto pela via judicial como queria o reitor - Apesar de exigir 70% dos serviços essenciais definidos pela reitoria, liminar mantém legalidade da greve - HUAP, DAP, Perícia Médica, Serviço Médico e Bandejão foram listados como essenciais pela reitoria O desembargador Marcelo Pereira da Silva emitiu decisão liminar sobre ação judicial da reitoria contra a greve. Ao contrário do desejo do reitor, a greve não foi declarada abusiva e a decisão judicial não impõe corte de ponto. A liminar prevê que sejam garantidos 70% de funcionamento dos serviços essenciais estabelecidos pelo reitor. A Assembleia deliberou por respeitar a decisão judicial, mas o sindicato irá recorr

Servidores em greve denunciam crise do HUAP com cartões de natal

O Comando de Greve do SINTUFF promoveu um café da manhã de natal (18/12) em frente ao Hospital Universitário Antonio Pedro (HUAP), com direito a Papai Noel e tudo. Os servidores colocaram cruzes simbolizando a redução de leitos e bolas de gás hélio que representavam as 230 vagas de concurso público não destinadas ao HUAP. Foram entregues aos transeuntes cartões de natal denunciando a crise atravessada pelo hospital e a responsabilidade dos governos, da reitoria e da EBSERH pela situação caótica. #HUAP #leitos #concursopúblico #cafédamanhã #natal

Os presentes de natal que o reitor se recusa a receber

Uma atividade de greve dos servidores da UFF, em protesto contra as negativas do reitor em atender as reivindicações da categoria, ocorreu na manhã desta segunda-feira (17/12), na Reitoria. Foram espalhados dezenas de cruzes e centenas de balões nos jardins simbolizando os leitos fechados no Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP) e as vagas para concurso público que o reitor Antonio Claudio não remeteu ao hospital. Os trabalhadores denunciam que é grave a insuficiência de profissionais para garantir o atendimento à população, Não havendo reposição nem pela UFF e nem pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). Os servidores exibiram simbolicamente presentes de natal que o

Após estelionato eleitoral e quebra de acordo, reitoria mente na negociação e ataca greve na justiça

Recebemos com repulsa a informação de que a Reitoria, através dos procuradores da universidade, ingressou com ação buscando que o judiciário declare abusividade da greve e corte de ponto, estipulando multa diária de 50 mil reais contra o sindicato, além de indenização. A grotesca atitude da reitoria precede a última reunião de negociação, sendo que na peça judicial o reitor acusa o SINTUFF de não querer negociar, quando o mesmo quebrou acordo de greve, cometeu estelionato eleitoral e não apresentou nenhuma contraproposta concreta para além de uma mísera vaga numa comissão, cuja adesão faria o sindicato colocar suas digitais nos desmandos da reitoria. Não há decisão judicial contra o sind

Diante da intransigência e da falta de palavra do reitor, a greve continua

Frente ao estelionato eleitoral, à falta de palavra e à intransigência do reitor, que não apresenta nenhuma contraproposta que efetivamente caminhe no sentido de preservar as 30 horas aos servidores da UFF, a Assembleia realizada na quarta-feira (12/12), no Hospital Universitário Antonio Pedro (HUAP), deliberou de forma unânime, sem votos contrários e abstenções, pela continuidade da greve e pela realização de atividades de mobilização na próxima semana. Na segunda-feira (17/12), a partir das 9 horas, na Reitoria, haverá atividade de mobilização e visibilidade da greve. Na terça-feira (18/12), o Comando de Greve realizará um café da manhã especial de Natal em frente ao HUAP, em defesa do hos

Servidores protestam na posse e denunciam estelionato eleitoral do reitor

A posse do reitor foi marcada por um profundo elitismo, destoando completamente da realidade do país e da universidade. Uma cerimônia marcada por trajes finos e coquetel de luxo, enquanto a universidade agoniza em uma grave crise financeira e está com sua autonomia e gratuidade ameaçadas. Os servidores em greve, com camisas em defesa das 30 horas, espalharam banners pelos jardins do prédio da Reitoria para denunciar as falsas promessas de campanha e o estelionato eleitoral do reitor empossado. Os grevistas adentraram ao prédio com palavras de ordem como "o seu reitor, você mentiu, prometeu as 30 horas e não cumpriu", "reitor, que papelão sem 30 horas não ganhava a eleição" e "reitor, cara de

Reitor se recusa radicalmente a defender 30 horas na justiça como fez o IFSul

A audiência com o reitor foi um retrocesso em relação à reunião de negociação anterior. Cada dia fica mais evidente que o reitor Antonio Claudio, negando suas promessas de campanha, quer entrar para a história como o gestor que acabou com a jornada de 30 horas na UFF, um direito conquistado e mantido há mais de três décadas. Ao atacar as 30 horas dos servidores e se esquivar de compor com ADUFF, SINTUFF e DCE uma frente política em defesa da democracia, da autonomia universitária e da educação pública, Antonio Claudio demonstra que a tendência de sua gestão é de aplicar fielmente as políticas do governo federal. O IFSul defendeu radicalmente as 30 horas, a UFF não O reitor da UFF se recusa r

Está marcada uma nova audiência com o reitor para debater a pauta da greve

Na última sexta-feira, o Comando de Greve do SINTUFF recebeu resposta da reitoria sobre a marcação de audiência para debater a pauta da greve, que tem como principal reivindicação a garantia da jornada de trabalho de 30 horas para todos os servidores da UFF, algo que é comprovadamente viável perante a lei. A nova audiência de negociação com o reitor está marcada para esta terça-feira (4/12), 16 horas, no Gabinete do Reitor. Contamos com a presença da categoria. Esperamos que dessa vez o reitor apresente alguma contraproposta. Já está comprovado, 30 horas para todos é possível, basta o reitor da UFF ter vontade política, a exemplo do que ocorreu no IFSul. #audiência #reitor #greve #30horas

Endereço:
Rua Coronel Tamarino, nº 37 - Gragoatá

Niterói - RJ

CEP: 24210-380

contato@sintuff.org.br

Telefones: (21) 2717-9292 / 3604-1800

© 2013

by Marcello Bertolo

  • Blogger Square
  • b-facebook
  • Google Round
  • Twitter Round
  • b-youtube